sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

SAGA DA FAMÍLIA BEVILACQUA




Bevilacqua, Rica familia de Verona


Lórigine dei cognomi Bevilacqua

Assolutamente panitaliano, può derivare sia da soprannomi probabilmente legati ad un amore particolare per il vino, sia da toponimi come Bevilacqua (FE) - (VR) - (BO) o altri; esempio di questa consuetudine si trova in uno scritto del 1050 dove si legge: "...Gregorius qui dicitur bibit aquam ...". 
La nobile famiglia veronese dei Bevilacqua è originaria di Ala (TN) Guglielmo divenne nel 1300 Vassallo del Vescovo di Verona; alla Corte degli Scaligeri il suo casato crebbe d'importanza con Francesco che come ambasciatore dei Della Scala ricevette onorificenze dai Visconti, dai Carraresi, dagli Estensi e dal papa Clemente VI°. 


(versão)
Absosolutamente Panitaliano. O Cognome pode resultar tanto de sobrenomes provavelmente relacionado com um amor especial para o vinho, tanto de nomes de lugares como Bevilacqua (FE) - (RV) - (BO) ou outros; exemplo dessa prática é encontrada em um artigo de 1050, onde lê: "...Gregorius qui dicitur bibit aquam ...".

A família nobre Veronese de Bevilacqua é nativa da Ala (TN), em 1300, Gugliemo Bevilacqua, tornou-se Vassalo do Bispo de Verona, da Familia Scaligeri,  e por isso, sua família cresceu em importância. Seu filho Francisco Bevilacqua, tornou-se embaixador e recebeu homenagens do Visconde Carraresi  e  do Papa Clemente VI.


Durante o dominio do Bispo Scaligeri,   por volta de 1336, Gugliemo Bevilacqua, tenente de  Padova,   por bons serviços prestados a famiglia Scaligeri, ganhou terras e foi autorizado a construir um  magnifico castello nesse território,  denominando-o  com o nome de sua familia, Palazzo Bevilacqua.  


O brasão de armas da familía, recorda as origens e as vicissitudes que marcaram o território Bevilacqua, em particular, dois símbolos fundamentais, a asa e o castelo, o primeiro sinal do lugar de origem da família Bevilacqua (Ala (Trento)); o símbolo, segundo a família nobre do território, que o município também deixou o seu nome.

O Palácio Bevilacqua, construído no ano de 1.336, por Gugliemo Bevilacqua, para moradia da sua familia,   está localizada em Corso Cavour, uma representativa estrada de Verona. Localizado próximo ao Porto de Borsari, que é uma construção romana da segunda metade do século I, com dois arcos que suportam uma dupla face ricamente decorada.  Ao longo dos séculos, foi muito danificado, por causa das inúmeras guerras contra a República de Veneza, que ele havia tomado posse. A partir de 1532, presumivelmente, Gianfrancesco Bevilacqua, pediu a modernização completa da construção, que foi assim transformado em um Palácio equipado com interiores novos e mais confortáveis. Em 1756 Gaetano  Bevilacqua,  retomou o trabalho, restaurando grande parte do interior do castelo, que mais tarde, em outros conflitos com a familia,  foi incendiada por tropas Austríacas. Para isso, ele foi novamente remodelado em 1860,  por Felicita Bevilacqua e seu marido, que deu todo o quadro complexo, de acordo com o estilo neo-gótico romântico da época.


Palácio de Romeu e de Julieta, construídos na mesma estrada do Palácio Bevilacqua,  um pouco mais a frente, surge o Castelvechio, construído em 1354, da família Montecchio, era a moradia de Romeo,   e em frente,   o castelo de Giulietta,  de onde Shakspeare, criou uma de suas obras primas.


Desde a infância, alguns de nossos antepassados sofreram muito, já que a Itália estava constantemente em luta sobre a sua futura estrutura. A monarquia, na pessoa do rei do Piemonte-Sardenha, Vítor Emanuel II, apoiado pelos conservadores liberais, teve sucesso quando em 1859-1861 se formou a Nação-Estado, derrotando os partidários de esquerda, republicanos e democráticos, que militavam sob Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi. A desejada unificação da Itália (até então a Itália era formada de pequenos Estados, dirigidos por nações Estrangeiras), se deu assim sob a Casa de Sabóia, com a anexação ao Reino de Sardenha, da Lombardia, do Vêneto, do Reino das Duas Sicílias, do Ducado de Módena e Reggio, do Grão-Ducado da Toscana, do Ducado de Parma e dos Estados Pontifícios. Mas, mesmo com a vitória, as guerrilhas e discordância continuaram por longos anos, fazendo com que o sofrido povo italiano buscasse melhores lugares para se morar.


ROSA PASCON BEVILACQUA,  minha trisavó paterna,  nasceu no ano de 1840 na cidade de Verona, Região do Veneto, e faleceu por volta do ano de 1922Casou-se com a sr ANGELO CAMOLESE, meu Trisavõ, nascido no ano de 1839, na mesma região e falecido em 1912. Tiveram vários filhos, sendo um deles, a minha Bisavó, Eugênia  Pascon Bevilacqua Camolese, (nascida na mesma região em 1871  e  falecida em 1929,  na cidade de Sertãozinho-SP, onde está enterrada),  e seus irmaõs Pietro Bevilacqua Camolese (1869/1933), Dionísio Bevilacqua Camolese (1876/1935) e Lira Anna Bevilacqua Camolese (1873)Luiz Bevilacqua Camolese (1887/????),  alguns,  falecidos na cidade de Assis-SP, para onde a família se mudou posteriormente,  ou em outra localidade do interior paulista.  Temos familiares que ainda moram na região de Ribeirão Preto.

Clique aqui e veja o arquivo da chegada dessas pessoas, que vieram no navio BOURGOGNE, com data de chegada em 13/02/1887


1) Pietro Bevilacqua Camolese (1869/1933) - Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 17 anos de idade.
2) Eugênia Bevilacqua Camolese, (1871/1929) - Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 15 anos de idade.
 minha bisavó, (nascida em Treviso, Itália  em 1871  e  falecida em 1929,  na cidade de Sertãozinho-SP, região de Ribeirão Preto, onde está enterrada.
3) Lira Anna Bevilacqua Camolese (1873/????),  Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 13 anos de idade.
4) Dionísio Bevilacqua Camolese  (1876/1935), Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 10 anos de idade. 
5) Luiz Bevilacqua Camolese      (1887/????),  nasceu na região de Ribeirão Preto.
                                         

EUGÊNIA PASCON BEVILACQUA CAMOLESE,  casa-se com LUIGI D'ALFONSO CARDUCCI  PERUCCO (A)no ano de 1889,  provavelmente na cidade de Ribeirão Preto / Sertãozinho,  onde foram comprar e ou trabalhar de Meieiros nas fazendas da Região. Ele,  (teve sobrenome alterado no registro de entrada no Brasil), era filho de Angela D'Alfonso Carducci  e  de  Damário Perucco.   Clique aqui e veja o registro de chegada de Luigi Peruzza, no Brasil, em 06/06/1888, pelo Navio Liban.   .

Tiveram 5 filhos, ANGELO, AQUILES, ESTELLA, PALMIRAALBINA  BEVILACQUA PASCON CAMOLESE D'ALFONSO CARDUCCI  PERUZZA,  com sobrenomes alterados no registro de nascimento.. 

- ANGELO (Angelin)  PERUCO,   meu tio-avô,  casa-se com a sra.  Benvenuta Lerco,   no ano de 1925, na cidade de Assis-Sp.  O Sr. Angelo Peruco faleceu em Londrina em 21/07/1997 e a sra. Benvenuta Lerco Peruca, faleceu em 01/08/1972 em Assis-Sp, onde foi enterrada, mas em 22/10/1993 seu corpo foi transladado para o Cemitério São Pedro em Londrina-Pr.
 
- ACHILES PERUCCA,   meu tio-avô,  faleceu no dia 21/12/1951 em Assis-Sp onde foi enterrado, mas em 22/10/1993 seu corpo foi transladado para o Cemitério São Pedro em Londrina-Pr. .
 
- ESTELLA PERUCCA,   minha tia-avó, nasceu na cidade de Sertãozinho no ano de 1902, casou-se em 22/09/1923, na Comarca de Orlândia, Município de Morro Agudo-SP, região de Ribeirão Preto, com o sr João Lunca, filho de João e Marieta Lunca.  Posteriormente mudaram-se com a família para a cidade de Assis e Candido Motta-SP e depois foram para o Paraná,  na cidade de Goioerê.  Tiveram os filhos ...........
 
- PALMIRA PERUCCA,  minha tia-avó nasceu na cidade de Ribeirão Preto,  no dia 13/07/1899,  casou-se com o sr.  TASCHINI,   por volta do ano de 1919 e faleceu no dia 02/09/1978, aos 81 anos de idade, na cidade de Birigui-SP, onde está enterrada. 
 
ALBINA PERUCCO,  minha Avó,  nascida em 22 de novembro de 1893, na cidade de Ribeirão Preto, e falecida em 06 de outubro de 1978 na cidade de Londrina-Pr, onde está enterrada, casou-se no ano de 1913 na cidade de Ribeirão Preto,  com o imigrante italiano ADOLPHO PENTIARO PASCINI TORAZZI, nascido no ano de 1887, na cidade de Rovigo, em Vêneto, Itália e filho caçula do sr ANACLETO PASCINI TORAZZI de sua esposa ÍTALA SECONDA PENTIARO, e falecido na cidade de Cândido Mota, estado de São Paulo, no ano de 1940.



O casal (foto de 1928),  PASCON BEVILACQUA CAMOLESE D'ALFONSO CARDUCCI PERUCCO PENTIARO PASCINI TORAZZI, Teve 5 filhos: Alberto, Sebastião, Verônica, Apparecida e Oswaldo. O primeiro nascido na cidade de Ribeirão Preto, o segundo na cidade de Morro Agudo, as filhas, na cidade de São Joaquim da Barra, e o último, nascido  Candido Mota,  sendo que nasceu e morou na fazenda da Pinguela. Casou-se na Igreja da Pinguela,  com a sra Darcila Gava, também moradora da fazenda e filha de Antonio De Nadai Gava, (esses  são os meus pais). 


Grande parte da família continuam morando na Região (Ribeirão Preto, Jau, Bauru, Orlândia, Olímpia, etc....)   outras estão residindo na Região de Assis-Sp,  mas,  meus pais e seus irmãos mudaram para a Cidade de Londrina e Região, onde eu nasci.


O casamento dos meus avós realizou-se no ano de 1913, na cidade de Ribeirão Preto, sendo que em seguida mudaram-se para a cidade de Morro Agudo, depois São Joaquim da Barra onde foram trabalhar na Fazenda Invernada (pertencente  às familias Junqueira e Almeida Prado, bisavós da minha esposa), e onde nasceram seus 04 primeiros filhos: ALBERTO  (08/03/1917/1967), SEBASTIÃO (03/02/1922/1964), VERÔNICA (28/10/1924),   e APPARECIDA (22/06//1928).



(Por incrivel que possa parecer,  uma dessas fazendas era dos avós da minha esposa (Otávio de Almeida Prado e Escolástica Cintra de Almeida Prado), fotos,   que também são da Região de São Joaquim da Barra,  e que eu vim a saber somente no ano de 2008, quando comecei a pesquisar para fazer o Blog e a Arvore Genealógica).


Todos os filhos do casal tiveram seus sobrenomes alterados, por ação de cartorários. Uns receberão sobreme Torazzi, Torassi, Toracci e outros Toraci, além do caçula ter recebido o de Torácio.

Em meados da década de 20, do século passado, o Governo Paulista, começou a incentivar a abertura de novas Terras na Região de Cândido Mottas e Assis-SP, pois até então aquele lugar era o fim do Brasil, já que, depois de Assis, tudo não passava de Florestas fechadas, (digo, norte do Paraná, Mato Grosso, Goiás, Acre, Tocantins, etc...).

Já no ano de em 1930, estavam trabalhando em sociedade na fazenda Pinguela de Baixo, na Região da cidade de Assis, onde criavam gado e plantavam café e roça.  Nesse ano, nasceu o quinto filho do casal, no dia 26 de novembro,  OSWALDO Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro TORACIO, (meu Pai), também com o último sobrenome errado por ação do cartorário, não só por isso, porque meu avô  não entendia muito bem o Português. Como diz meu pai, em casa só falavam em italiano.

Muito doente, meu avô,  Adopho Torazzi,  falece aos 53 anos de idade,  por   Colapso cardíaco e insuficiencia cardio hepato renal,  no dia 28 de março de 1940,  na fazenda Pinguela de baixo, na cidade de Assis, onde está enterrado.



Minha avó, Albina, mulher forte e destemida, arregaçou as mangas e orientou seus filhos mais velhos, Alberto e Sebastião,  a trabalharem e negociarem as mercadorias e produtos da fazenda, mas as filhas também trabalhavam na roça, Verônica e Apparecida, ajudaram muito.

Nesta época, estava havendo a abertura de terras no Norte do Paraná, dna. Albina e seus cinco Filhos,  vendem o que tem e mudam-se para a cidade de Londrina, no ano de 1942.  Meus tios, Alberto e Sebastião, compraram um sítio em Alvorada do Sul, mas o negócio não foi promissor, (parece que o sítio tinha vários donos, já tinha sido vendido a várias pessoas, por isso desistiram dele), depois abriram comercio,  iniciando com Venda (pequeno mercado)  e  depois com um Restaurante, que pertenceu à família até o ano de 1.964.

Minha avó, Faleceu aos 85 anos de idade,  em 06 de outubro de 1978,  às 16:30 hs, na Santa Casa de Londrina,  devido a um acidente vascular cerebral.   Está enterrada em Londrina.  Ela morou muitos anos na casa de meus pais, e foi lá que veio a falecer.

  (veja a história de cada um deles, neste Blog).  

Seus filhos:  Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro TORAZZI  (com o último nome errado): 

Alberto ( Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro)          Toracci  (1917/1967), casa-se com Antonia Zambrim (1925/2002),  na cidade de Cândido Mota, próxima a cidade de Assis-SP, em 1942 e tiveram 6 filhos:   Maria,  Vílmo (1946/1963 - faleceu solteiro),  Lourdes,  Neide,  Edno (1951/2004) e Edson.  (Alberto e Antonia  faleceram em Londrina onde estão enterrados).
- Maria, casa-se com Miguel Alves e tem os filhos:  Willian, Rogério, BenHur,  Marcos e Vilmar.
-- Willian  casa-se com a sra  .......  e tem a filha Daniela -  Moram em São Paulo.
-- Rogerio casa-se com a sra Marcia e tem a filha Joyce - Moram em Paranavai.
-- BenHur casa-se com a sra Wilzangela Americo Ribeiro, e tem os filhos BenHur e Mariana.  BenHur filho, casa-se com Viviane Fernandes e tem o filho Matheus - Moram em Paranavaí.
-- Marcos -
-- Vilmar -
- Lourdes, casa-se com Otávio (Lelo), e tem as filhas:  Daniele, Simone e Rosangela.
-- Daniele casa-se com   .....   e tem a filha Beatrice - Moram em Londrina.
-- Simone casa-se com    ....   e tem os filhos Otávio e Fernanda - Moram em Londrina.
- Edno, casa-se com a sra. Maria Sueli Ferreira, e tem os filhos: Thaíse, Bianca, Lidiane e Joberto.
-- Bianca, casa-se com Daniel Ribeiro e tem a filha Beatriz - Moram em Londrina.
-- Lidiana, casa-se com Minoro Nunes e tem a filha Letícia - Moram em Presidente Prudente.
-- Joberto - Mora em Presidente Prudente.
-- Thaíse - Mora em Londrina.

-Sebastião  (Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro)  Toraci  (1922/1964), casa-se com a sra  Conceição Vieira, em Vila Alex, atual cidade de Tarumã, próxima a cidade de Assis-SP,  no ano de 1944  e tiveram 5 filhos: Acir, Maria Alice, Maria Dirce, Maria Clarice e Maria conceição (Mara).  Sebastião faleceu em Londrina em 1.964, onde está enterrado.  A sra Conceição permanece viva e mora em Londrina.)
-- Acir Toraci, casado em primeira nupcias com a sra. Simone M. G. Bezerra (falecida em 1991), tiveram 3 filhos: Cecília (1974/),  Diogo (1978/) e  Clarissa (1982/), moram em São Paulo - SP
-- Maria Alice Toraci, casa-se com o sr Pedro de Brito Braga (1946/), morando em Londrina - Pr,  tem a filha Leticia Toraci Braga, casada com Thomaz Pfadenhauer  e tem o filho Julian Toraci B. Pfadenhauer, nascido em outubro de 2010, que estão morando na Alemanha.
-- Maria Dirce Toraci, casada com Edvando Moreno Gois, (falecido no ano de 2010),   tem 4  filhas:  Glaucia, Bianca, Tatiana e Viviane, moram em Recife - Pe.
. Glaucia (1979/),  casada com o sr Yuri Macedo Barreto (1978/).
. Bianca (1981), casada com o sr Antonio Carlos Santos Ferreira (1972).
. Tatiana, casada com Jeronimo Cunha.
. Viviane, casada com o sr Pablo Alonso e tem uma filha chamada Julia Toraci Alonso.
-- Maria Clarice Toraci, casada com o sr Flavio Dulcetti Filho,  tem 2 filhos:  Renato e  Naly.
 . Renato Toraci Dulcetti,  natural de Belém-Pa,  casado com Camila Rendeiro, tem 2 filhos: Flávio e Cleo.
Naly Toraci Dulcetti Gama,  natural de Belém-Pa,  casada com Daniel Gama, tem 3 filhos: Clarice,  Ganiel  e  Renata.
-- Maria Conceição Toraci, (Mara), casada com Joaquim Augusto Marçal,  tem 4 filhos:  André, Lícia, Marcelo e Marconi Augusto.
.  André,  casado com Sandra Carlos Pereira, tem a filha Valentina, nascida em outubro de 2011.
.  Lícia,  casada com Emerson Antunes Rocha,.  Moram em Orizona - Go.
.                                            

(fotos: 1) - Sebastião Toraci em 1963.  2) - Sebastião e Conceição (ano do casamento - 1944)  3) - Sebastião e família, final da década  de 50)

-Verônica ( Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro Torassi (28/10/1924), casa-se com o sr Armindo Bueno (11/06/1924 - 07/12/1988), em Vila Alex, atual cidade de Tarumã, próxima a cidade de Assis-SP,, no ano de 1946 e tiveram 4 filhos:     Valdir, Valdecir, Valdinir e Vildines. (Verônica, viúva,  mora em Londrina).
- Valdir,  nasceu em ......casou-se com ........ e teve os filhos........Mora em  .........
- Valdecir,  nasceu em ......casou-se com .........Mora em Londrina-Pr
- Valdinir,  nasceu em ......casou-se com o sr Waldemar Pardal e teve 4 filhos:  .....Mora em Curitiba-Pr...
- Vildines,   nasceu em ......casou-se com .........teve os filhos......Mora em Londrina-Pr

-Apparecida ( Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro)  Torassi  (16/06//1928), registrada em 22/06/1928, casa-se com o Sr Nestor Florentino da Silva, em Londrina, no ano de 1948 e tiveram 05 filhas:    Romilda, Ronilde, Ivone, Clarisse e Sonia. (Apparecida, viúva, mora em Londrina - Seu esposo Nestor, desapareceu no ano de 1965, e ninguém soube de seu paradeiro. Lembro-me que ele foi corretor, vendedor e até Pastor de Igreja Evangélica).

Romilda,   nasceu em ......casou-se com .........teve os filhos......Mora em ........
- Ronilde,   nasceu em ......casou-se com .........teve os filhos......Mora em ......
Ivone,   nasceu em Londrina,  no ano de 1955, casou-se com o sr Rui...., teve os filhos......Mora em Londrina-Pr.
Clarisse Torassi da Silva, nasceu em Londrina no ano de 1.958,  casou-se aos 16 anos de idade, com o sr  Dirceu Antonio Vieira,  no ano de 1.974, e teve os filhos:  Luciane, Juliane,  Cristiane e Aline.
..  Luciane Mara Vieira, nasceu em Londrina em 13/03/1975, casada com o sr ......., tem 4 filhos e mora atualmente em Santa Catarina.
 ..  Juliana Aparecida Vieira, nasceu em Londrina em 07/09/1978, casada com o sr ......., tem 2 filhos e mora atualmente em Londrina.
..   Cristiane Virgìnia Vieira, nasceu em Londrina em 07/09/1980, casada com o sr ......., tem 2 filhos e mora atualmente em Londrina.
..  Aline Regina Vieira, nasceu em Londrina em 07/09/1988, solteira, tem 1 filho, Pedro Henrique Vieira Sanches, nascido em 08/01/2007,  e mora atualmente em Londrina.
 Sonia,   nasceu em Londirna no ano de ......,  casou-se com o sr Gentil .........., teve os filhos......Mora no Japão.

-Oswaldo Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro Torácio,  casa-se com a sra  Darcila Beghe Baretari Basso Magaton Bortoletto Janotto Denadai Buset Igne Rosolen Michelin Gava, na Cidade de Assis-SP, no ano de 1953,    (na fazenda da Pinguela, onde a noiva residia), e muda-se para Londrina logo após a lua de mel.    Tiveram 03 filhos: Ogair José,  Waltercides Roberto, e Marcelo.     
Ogair José, nasceu em Londrina no ano de 1955, é Matemático e Analista, casou-se com Marta de Almeida Prado em Fevereiro de 1980 e teve 3 fihos: Thaís, Augusto e Marília. Atualmente mora em Curitiba-Pr.


.. Thaís, nascida em Belo Horizonte, é Atriz e Diretora de Artes e atualmente mora em São Paulo.
.. Augusto, nascido em Belo Horizonte, é Analista e Economista,  e atualmente mora em Curitiba
.. Marília, nascida em São Paulo, é Fisioterapeuta, casada com Guilherme Barbo, em 21/04/2012, atualmente moram em Curitiba.

- Waltercides Roberto, nasceu em Londrina no ano de 1958,  é Bacharel em Ed. Física e  Gráficocasou-se com Silvia Toffolo Campagnucci em Outubro de 1980 e teve 2 fihos: Fernanda e Gustavo, moram em Londrina-Pr.

- Marcelo, nasceu em Londrina no ano de 1969, é Economista e Advogado, casou-se com Tatiana Ribeiro em Novembro de 1994,  teve 2 fihos: Thiago e Isabella, moram em Bandeirantes-Pr.



Meu sobrenome poderia ser: Beghi Baretari Basso Magaton Bortoletto Janotto Denadai Buset Igne Rosolen Michelin Gava Pascon Bevilacqua Camolese D'Alfonso Carducci Peruzzo Pentiaro Torácio.

( comento sobre essas famílias e seus descendentes, neste blog).
(foto a direita e acima, de 1953 - Casamento dos meus pais)
(foto a esquerda, de 1957, meus pais e eu com 2 anos)



Para saber mais sobre a Genealogia,   veja  a  SAGA DA FAMILIA PERUZZO E TORAZZI, e também a SAGA DA FAMILIA GAVA. 

Muitos dos irmãos de minha avó, foram com eles para as Cidades de Cândido Motta e Assis, onde compraram fazendas e foram trabalhar na lavoura.  Outros camolese's permaneceram na região de Ribeirão Preto, Araçatuba, Orlândia, Sertãozinho, etc.....

(Foto dos meus avós ALBINA PASCON BEVILACQUA CAMOLESE D'ALFONSO CARDUCCI PERUZZO (falecida e enterrada em Londrina-Pr, e ADOLPHO PENTIARO TORAZZI, falecido e enterrado em Candido Mota-Sp).  


Quem tiver informações, por favor me repasse, para colocar no Blog e na arvore genealógica http://www.myheritage.com/ (com mais de 1.350 pessoas catalogadas).


email:
ogair.toracio@gmail.com



Ver : Leia sobre as familias abaixo e conheça mais sobre nossos parentes.


- SAGA DA FAMÍLIA PASCON
- SAGA DA FAMÍLIA CAMOLESE
- SAGA DA FAMÍLIA D'ALFONSO
- SAGA DA FAMÍLIA CARDUCCI
- SAGA DA FAMÍLIA PERUZZO
- SAGA DA FAMÍLIA TORAZZI (Torácio)
- SAGA DA FAMÍLIA GAVA






9 comentários:

Anônimo disse...

Olá sou Fátima Bevilacqua, tenho o sobrenome porque me casei com José Luis Bevilacqua, filho de matheus Adhemar Bevilacqua, que Nasceu numa cidade perto de Ribeirão Preto, Guariropa eu acho, e tem familiares em Taquaritinga Sp. Irmão de meu sogro chama-se Lourdes Bevilacqua. Nós moramos na cidade de bauru sp., meu sogro na cidade de Ourinhos Sp.

Anônimo disse...

OLÁ, SOU JOSÉ EUGÊNIO BEVILÁCQUA, TENHO SOBRENOME BEVILÁCQUA HERDADO DE MEU PAI (IN MEMORIAN) ANTONIO BEVILÁCQUA E DE MEUS AVÓS JOÃO BEVILÁCQUA E ANTONIETA VOLTAN (IMIGRANTES DA ITÁLIA - VENEZA E SUL DA FRANÇA). A FAMÍLIA É GRANDE E ESTABELECEU-SE NA CIDADE DE SÃO PAULO E INTERIOR DO ESTADO, REGIÃO DA ALTA ARARAQUARENSE. ATUALMENTE RESIDO EM IBIRÁ E SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. SAUDAÇÕES.

esmeralda annita disse...

Piacere,Sou Esmeralda Annita Bevilacqua e gostaria de cumprimentá-lo pelo trabalho de pesquisa e dados históricos coletados. Minha família é de Rovigo e Verona. A seguir o seu exemplo, também eu tenho o objetivo de fazer um levantamento histórico de minha família materna e paterna de modo a conhecer sua saga e localizar os depojos dos meus bisavós na Itália. Sou descendente dos Bevilacqua, Badra e Moreti por parte de pai e de Caniato, Giovannini por parte de mãe. Se puder me dar dicas de sites e7ou centros de pesquisa eu agradeço, antecipadamente. Grazie e Saudações. 23/2/2014 (P.S: hoje é compleano de meu pai, nascido em 23/2/1907, por coincidência).

Ogair disse...

Esmeralda, tudo bom?
obrigado por ter escrito. Para iniciar tua pesquisa, você pode acessar pela internet o site do Museu da Imigração (Acervo Digital), pois todos os italianos que vieram por Santos/São Paulo, estão lá registrados.
- http://museudaimigracao.org.br/

abraço

zangalli disse...

Minha avó paterna era Maria Belivaqua Zangalli meu avô era José Zangalli. Tenho primos Belivaqua em Umuarama PR

Ogair disse...

De José Chaves: Angelo Corneliu Bevilacqua, nascido em Trieste ao norte da Italia, casado com Luiza Teofilo de Oliveira em 26/07/1795 na antiga catedral de Fortaleza. Tiveram os filhos:
ANTONIO BEVILAQUA (o coronel) MANOEL BEVILAQUA JOSE BEVILAQUA ( o padre), pai de CLOVIS BEVILAQUA (minha ramificação ) o coronel ANTONIO BEVILAQUA foi casado três vezes 1 URSULINA MENDES 2 com uma viuva não tiveram filhos 3 com JUANA TORRES tiveram três filhos JOSE ARTUR BEVILAQUA (o pintor) ANTONIO BEVILAQUA FILHO, nascido em 13/04/1882, falecido em 23/01/1931 (meu avô) foi casado duas vezes: primeiro casamento com LAURA PORTO BEVILAQUA, teve os filhos: ADALGIZA PORTO BEVILAQUA, HERCILIA, HAMILTOM, NOEME, ZELINDA, WELINGTON, OFELIA, LAURO e BEATRIZ. No segundo casamento com AUTA SOUSA BEVILAQUA (minha avó), AUTAIR SOUSA BEVILAQUA , AGENOR, nascido 17/09/1920, EDWAR, NASCIDO EM 19/08/1922, FALB nascido em 08/11/1923, RAWLISON nascido em 18/05/1925, ANTONIO CARLOS, nascido em 02/04/1927 e RAIMUNDO IVAN, nascido em 06/09/1928


FALB SOUSA BEVILAQUA casado com ROSACHAVES BEVILAQUA (meus pais), tiveram os filhos: ROSA MARIA CHAVES BEVILAQUA, nacido 22/07/1949, FABIA, 14/01/1951, INOCÊNCIA, 06/03/1952, FCO CHAVES BEVILAQUA, 25/03/1953, JOAQUIM FCO CHAVES BEVILAQUA, 12/03/1955, MARGARIDA DORIA CHAVES BEVILAQUA, 02/11/1956, FALB ANTONIO CHAVES BEVILAQUA, 16/06/1958, JOSE CHAVES BEVILAQUA (eu ), 16/12/1962, casado com LUIZA COELHO BEVILAQUA, 07/02/1963, filhos JOSE EDUARDO COELHO BEVILAQUA, nascido em 31/01/1984, INÊS COELHO BEVILAQUA, 23/10/1986 DAVID COELHO BEVILAQUA, 11/04/1988, (obs só ate chegar em mim).
ANTONIO BEVILAQUA FILHO

zangalli disse...

Olá, a minha bisavó era a Ana Maria Domingas Bevilaqua casado com André Bevilaqua e uma de seus filhos é a Maria Bevilaqua Zangalli (avó paterna)

Lucia Rubin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucia Rubin disse...

Olá, sou Lucia, descendente desse Ramo da família Bevilaqua do Ceará. Minha Bisavô, irmã do Clovis Bevilaqua era Edeltrudes Bevilaqua, minha avó Sara Bevilaqua, minha mãe e também Edeltrudes Bevilaqua, e eu sou Lucia TENHO muito orgulho de pertencer a essa família.