domingo, 3 de janeiro de 2010

SAGA DA FAMILIA IGNE

      
L'OGINI DEI FAMIGLIA IGNE



A grande maioria dos sobre-nomes italianos, teve origem, de um lugar, uma montanha, um santo, etc...,  e, acredito que, com o codinome Ignes, não foi diferente.  Provavelmente nosso sobre-nome tenha advindo de  "Agnese Fuori le Mura", virgem e martir do século III em Roma,  conhecida como Santa Ignes,


Quando o Imperador Constantino quis ter sua filha batizada, ele o fez na igreja de Santa Agnese Fuori le Mura (Santa Ignes),   que foi erigida por ele sobre a tumba da Santa.



No ano de 382 o Papa Damasus I, que foi o primeiro a chamar Roma de "Sé Apostólica", restaurou a igreja de Santa Ignes, pois a Santa, já muito conhecida, orada e agraciada, levava milhares de peregrinos ao local, para cumprirem suas promessas e fazer novos pedidos.


ANGÊLO IGNE, meu Ta-tataravô, nascido mais ou menos no ano de 1813 e casado com a sra CATTERINA BUSET, nascida no ano de 1816, seriam os pais de minha Tataravó ANGELA BUSET IGNE, da Região de Treviso, Vêneto, que nasceu por volta do ano de 1839, na cidade de Cimettà, Treviso, Vêneto, e morreu no dia 27 de novembro de 1901, na mesma localidade.

Então: ANGELA BUSET IGNES, casou-se, com oa sr. MATHEUS ANTONIO ROSOLEN MICHELIN GAVA , por volta do ano de 1856. Sabe-se, que desse casamento tiveram muitos filhos, costume habitual da época, mas os únicos que sei o nome, São:  Catterina, Giuseppe,  Basílio Giuseppe e  Giovanni

CATTERINA BUSET IGNES ROSOLEN MICHELIN GAVA, nascida em 20/6/1861 em Bibano, Godega Di Sant' Urbano,Treviso, e se casou em 29/11/1882 com Luiz Da Dalt de Conegliano, filho de Pietro e Giovanna Fossai. Residiam em Cimettá, onde faleceram, ela 1936 e ele 1938.

GIUSEPPE BUSET IGNES ROSOLEN MICHELIN GAVA, nascido em 1861veio para o Brasil com 36 anos, em  06/04/1897,  no vapor San Gottardo, com destino a cidade de Tietê,  fazenda de J.M. Alves Correa Toledo.  Chegou casado com Maria Serafin, também com 36 anos de idade,  que faleceu logo depois, e com três filhos:  Antonio (9 anos)Ana (8 anos)  e Regina (3 anos).  Após a morte da esposa, Giuseppe, retornou para a Itália com a filha Regina,  que lá se casou com um membro da familia Da Dalt. Depois mudaram-se para os Estados Unidos. A entrada deles nos Estados Unidos, juntamente com  Vitória de 4 meses, está no Registro de Ellis Island " no vapor Chicago em 9/5/1914, que  saiu do porto de Havre, na França e no ano seguinte no vapor Stampalia do porto de Genova 07/04/1915.  Seu outro filho Antonio Gava,  ficou no Brasil,   pois estava casado com a sra  Catharina Ometto,  nascida em 1891 em Piracicaba.  Tiveram a filha Nayde Gava, nasc.18/5/1923,  também em Piracicaba,  que se casou com Belmiro Fontanari, nascido 18/6/1919 em Charqueada,  filho de Antonio e Aída Pavanelli. A Outra filha Ana Gava,  não tenho notícias, mas sei que ficou no Brasil, onde se casou.

BASÍLIO GIUSEPPE BUSET IGNES ROSOLEN MICHELIN GAVA, nascido em 1872,  veio para o Brasil com 25 anos, em  06/04/1897,  no vapor San Gottardo, com destino a cidade de Tietê,  fazenda de J.M. Alves Correa Toledo. Nasceu em Bibano, Godega Di Sant' Urbano,Treviso.  Chegou casado com    Maria Covassim (1872),  teve os filhos: Giuditta, Anna, e Vittório.   Giuditta Gava (1901), casada com Constantino Modanese (1901), teve a filha Irene Gava Modanese (1923/2004), que se casou com Benedito Consorti.    Anna Gava (1891),  e Vittório Gava (1896), este, casado com a sra Letícia Andrigue, teve o filhos Antonio Gava, nascido em 29/06/1916.

GIOVANNI AFONSO (JOÃO) BUSET IGNES ROSOLEN MICHELIN GAVA, meu Bisavô,  nasceu em 02/08/1863, na cidade Bibano, Godega Di Sant' Urbano, Treviso, e falecido na cidade de Assis-Sp, onde está enterrado, em 31/11/1938.   Casou-se em 15/02/1891, na Parochia Sant'Urbano,  com a sra MARIA LUIGIA JANOTO DE NADAI, nascida em 1870 na cidade na mesma cidade e falecida em 16/10/1935, na Fazenda da Fortuna, na cidade de Assis, onde está enterrada, ela,  filha do casal DOMENICO DE NADAI, (Foto com a familia, abaixo).  e da sra  CATHARINA JANOTO (Zanoto),  ambos da mesma região de Bibano.

Chegaram ao Brasil  no Vapor Vincenzo Florio, no dia 29/06/1893: Giovanni com 29 anos, Maria Luigia de Nadai, com 24 anos, a filha Catherina, com 1 ano e o filho Domenico com 2 meses, e foram residir na cidade de Sertãozinho, na fazenda do Dr. Domenico De Nadai, meu trisavô, pai da Maria Luigia.


(  Clique e veja o registro de chegada em Santos- SP     )  http://www.museudaimigracao.org.br/acervodigital/livrodetalhe.php?livro=041&pagina=215&familia=53710 


foto acima: João Gava e Maria Luigia De Nadai Gava (meus bisavós))


Os italianos nessa época passavam por momentos difíceis, pois a itália estava na luta sobre a sua futura estrutura. A monarquia, na pessoa do rei do Piemonte-Sardenha, Vítor Emanuel II, apoiado pelos conservadores liberais, teve sucesso quando em 1859-1861 se formou a Nação-Estado, derrotando os partidários de esquerda, republicanos e democráticos, que militavam sob Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi. A desejada unificação da Itália (até então a Itália era formada de pequenos Estados, dirigidos por nações Estrangeiras, França, Espanha, Inglaterra), se deu assim sob a Casa de Sabóia, com a anexação ao Reino de Sardenha, da Lombardia, do Vêneto, do Reino das Duas Sicílias, do Ducado de Módena e Reggio, do Grão-Ducado da Toscana, do Ducado de Parma e dos Estados Pontifícios. Mas, mesmo com a vitória, as guerrilhas e discordância continuaram por longos anos, fazendo com que o sofrido povo italiano buscasse melhores lugares para se morar.



Muitas familia decidiram sair da Itália e vir para o Brasil, pois após a Libertação Escravocata, o País estava necessitando urgentemente de trabalhadores com conhecimentos (agricultores, pedreiros, marceneiros, etc...) e o governo brasileiro, muita propaganda fez, inclusive dando as passagens gratuitamente aos imigrantes, além de serem beneficiados posteriormente com a compra de terras muito baratas.


Os navios saiam da Itália abarrotados de familias querendo um futuro promissor, mas não sabiam o destino que chegariam. Muitas familias foram separadas no Porto de embarque, já que o destino de cada navio era diferente: Uns desembarcariam em Santos (SP), outros em Paranaguá (PR), outros em Niteroi (RJ), Florianópolis (SC), Vitória (ES) e no Rio Grande do Sul, etc....

 
 
Ver continuação:

SAGA DA FAMILIA GAVA
SAGA DA FAMILIA JANOTO
SAGA DA FAMILIA DENADAI
SAGA DA FAMILIA BUSET
SAGA DA FAMILIA ROSOLEN


Se alguém tiver informações, favor me contatar pelo email:
ogair.toracio@gmail.com

2 comentários:

EVELLYN disse...

Ciao Ogair,

Sei pouco da familia IGNE...Säo poucos Ignes pelo mundo. A cidadezinha que saiu meu antepassado se chamava Francenigo- Gaiarine- Treviso.O meu tataravó era Giovanni Igne ele era agronomo e trabalhava na Austria. A minha Bisnonna Elvira Igne dizia que Igne era um sobrenome francês.
Abraccio
http://fazendoasmalas-evellyn.blogspot.com/

wanderson s disse...

Evellyn, estou a procura da origem de meus descendentes italianos. Consegui uma certidão de casamento de minha bisavó e nela consta como Trisavós, Carmo Spina e Ignez Ricarda.
Voce sabe se minha Trisavó tem algum parentesco, em que pese a grafia ser diferente, sabemos que muitos italianos aportuguezaram seus nomes para facilitar a vida no Brasil. Aguardo.