domingo, 3 de janeiro de 2010

SAGA DA FAMILIA PASCON



L'ORIGINE DE LA FAMIGLIA PASCOM

Pascon é específico de Treviso, Salgareda, Clare, Fontanelle, Cison de Motta di Valmarino e Livenza, com uma pequena extensão também em Fossalta di Piave, em Veneza, e um em Curtatone em Mântua, Pasquon é típico da Torre Veneza e Ceggia, com uma ligeira extensão em Casarsa della Delizia Pordenone, você deve tratar as formas, proveniente do dialeto veneziano de forma aumentativa medieval nome da Páscoa (ver Páscoa)

A familia é originaria da França, e como a Itália do século XVIII e XIX, era dividida em pequenos estados governados por Paises estrangeiro, a familia  PASCON deve ter sido enviada para a Itália, para Colonizá-la.

ROSA PASCOM BEVILACQUA, minha Trisavó, nascida no ano de 1840 em Cimettà, Treviso, Região do Veneto, e falecida em 1910, provavelmente na Região de Ribeirão Preto. Casou-se o sr ANGELO CAMOLESE, por volta do ano de 1856, e tiveram vários filhos: sendo um deles, minha Bisavó, Eugênia Pascon Bevilacqua Camolese.


1) Pietro Pascom Camolese (1869/1933) - Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 17 anos de idade.
2) Eugênia Pascom Camolese, (1871/1929) - Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 15 anos de idade.
 minha bisavó, (nascida em Treviso, Itália  em 1871  e  falecida em 1929,  na cidade de Sertãozinho-SP, região de Ribeirão Preto, onde está enterrada.
3) Lira Anna Pascom Camolese (1873/????),  Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 13 anos de idade.
4) Dionísio Pascom Camolese  (1876/1935), Treviso, Itália, chegou ao  Brasil com 10 anos de idade. 
5) Luiz Pascom Camolese      (1887/????),  nasceu na região de Ribeirão Preto.
                                         

Por viverem  no período factídio que a Itália passava, resolvem vir para o Brasil,   chegando ao  Porto de Santos em fevereiro de 1887,  dirigindo-se em seguida para a Região de Ribeirão Preto, Com 4 crianças, sendo que o quinto filho nasceu em Ribeirão Preto..  Clique aqui e veja o arquivo de chegada da família, no dia 13/02/1887, no navio BOURGOGNE.


Os italianos tiveram uma época muito difícil no sécuco XIX, pois a itália esteve em luta por sua futura estrutura, durante décadas. A monarquia, na pessoa do rei do Piemonte-Sardenha, Vítor Emanuel II, apoiado pelos conservadores liberais, só obteve sucesso quando em 1859-1861 se formou a Nação-Estado, derrotando os partidários de esquerda, republicanos e democráticos, que militavam sob Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi. A desejada unificação da Itália (até então a Itália era formada de pequenos Estados, dirigidos por nações Estrangeiras, França, Espanha, Inglaterra), se deu assim sob a Casa de Sabóia. Mas, mesmo com a vitória, as guerrilhas e discordância continuaram por longos anos, fazendo com que o sofrido povo italiano buscasse melhores lugares para se morar.


Muitas familia decidiram sair da Itália e vir para o Brasil, pois após a Libertação Escravocata, o País estava necessitando urgentemente de trabalhadores com conhecimentos (agricultores, pedreiros, marceneiros, etc...) e o governo brasileiro, muita propaganda fez, inclusive dando as passagens gratuitamente aos imigrantes, além de serem beneficiados posteriormente com a compra de terras muito baratas.


Os navios saiam da Itália abarrotados de familias querendo um futuro promissor, mas não sabiam o destino que chegariam. Muitas familias foram separadas ainda na Itália, no Porto de embarque, já que o destino de cada navio era diferente: Uns desembarcariam em Santos, outros em Paranaguá, outros em Niteroi, Florianólolis, Vitória, Porto Alecre, etc...

Mesmo após o desembarque no Brasil, ainda seriam separados, pois uns iam para uma cidade e outros para outras cidades, conforme a necessidade de serviços em cada localidade.



ANGELA D'ALFONSO CARDUCCIminha  outra Trisavó paterna, nasceu provavelmene no ano de 1.836, na cidade Treviso, Região do Vêneto Oriental, na Itália,  casou-se com DAMÁRIO PERUZZO no ano de 1833, vivendo o período factídio que a Itália passava, e atravessaram enormes d4ificuldades. Tiveram muitos filhos, como tradicionalmente acontecia na época. Um desses filhos o meu Bisavô, LUIGI D'ALFONSO CARDUCCI PERUZZA, (sobrenome alterado no registro de entrada no Brasil).   Clique aqui e veja o registro de chegada de Luigi Peruzza, no Brasil, em 06/06/1888, pelo Navio Liban.

1)   Minha bisavó, EUGÊNIA PASCON BEVILACQUA CAMOLESE (1871/1929),  casa-se em Ribeirão Preto, com o sr LUIGI D'ALFONSO CARDUCCI PERUZZA,  no ano de 1890  ele,  nascido no ano de 1865 na cidade de Cimettà, Treviso, Região do Vêneto Oriental, na Itália e falecido no ano de 1943,  na Região de Ribeirão Preto, onde está enterrado.

Meus Bisavós tiveram 5 filhos, ANGELO, AQUILES, ESTELA, PALMIRAALBINA  BEVILACQUA PASCON CAMOLESE D'ALFONSO CARDUCCI PERUZZO.

1a - ANGELO (Angelin)  PERUCO,   meu tio-avô,  casa-se com a sra.  Benvenuta Lerco,   no ano de 1925, na cidade de Assis-Sp.  O Sr. Angelo Peruco faleceu em Londrina em 21/07/1997 e a sra. Benvenuta Lerco Peruca, faleceu em 01/08/1972 em Assis-Sp, onde foi enterrada, mas em 22/10/1993 seu corpo foi transladado para o Cemitério São Pedro em Londrina-Pr.
 
1b - ACHILES PERUCCA,   meu tio-avô,  faleceu no dia 21/12/1951 em Assis-Sp onde foi enterrado, mas em 22/10/1993 seu corpo foi transladado para o Cemitério São Pedro em Londrina-Pr. 
1c- ESTELLA PERUCCA,   minha tia-avó, nasceu na cidade de Sertãozinho no ano de 1902, casou-se em 22/09/1923, na Comarca de Orlândia, Município de Morro Agudo-SP, região de Ribeirão Preto, com o sr.  João Lunca, filho de João e Marieta Lunca.  Posteriormente mudaram-se com a família para a cidade de Assis e Candido Motta-SP e depois foram para o Paraná,  na cidade de Goioerê.  Tiveram os filhos ...........
 
1d)- PALMIRA PERUCCA,  minha tia-avó nasceu na cidade de Ribeirão Preto,  no dia 13/07/1899,  casou-se com o sr.  TASCHINI,   por volta do ano de 1919 e faleceu no dia 02/09/1978, aos 81 anos de idade, na cidade de Birigui-SP, onde está enterrada. 
 
1e)- ALBINA PERUCCO,  minha Avó,  nascida em 22 de novembro de 1893, na cidade de Ribeirão Preto, e falecida em 06 de outubro de 1978 na cidade de Londrina, casa-se no ano de 1915,  com o imigrante italiano ADOLPHO PENTIARO TURAZZI, nascido no ano de 1887, na cidade de Rovigo, em Vêneto, Itália e filho primogênito do sr ANACLETO TURAZZI de sua esposa ÍTALA SECONDA PENTIARO TURAZZI, e falecido na cidade de Assis, estado de São Paulo.
 
O casal ADOLPHO E ALBINA PASCON CAMOLESE D'ALFONSO CARDUCCI PERUCCO PENTIARO TORAZZI, Teve 5 filhos: Alberto, Sebastião, Verônica, Apparecida e Oswaldo (Ver continuação da história e biografia dos descendentes neste Blog, e nas Sagas das familias, abaixo).

Clique em:


Outro Ramo da Familia PASCON, de  Campo di Pietra, frazione di Salgareda, província di Treviso, Itália. Data de chegada ao Porto de Santos, 13/02/1887, no navio Bourgogne. A família era composta de: Luigi -1818); Giovanna Agnolin (1822, esposa); Giacinto (1846, filho 1); Rosa Borin (1856, nora 1); Giovanna (1876, neta1); Giuseppina (1885, neta1); Giuseppe (1852, filho 2); Modesta Viotto (1853, nora 2); Antonio (1873, neto 2); Luigia (1874, neta 2); Luigia (1876, neta 2); Maria (1879, neta 2); Regina (neta 2, 1882); Pietro (1885 neto 2); Luigia Vendramini (1853, nora 3, viúva de Apostolo); Carolina (1876, neta 3), Giovanni (1878, neto 3); Cesira (1881, neta 3); Augusta (1885, neta 3).
Obtido do  Livro 4 do Registro de Imigrantes da Hospedaria de Santos-SP,  folha 230.
Fonte: Microfilme 1.285.573, Igreja Mormo.

4 comentários:

barbarapascon disse...

muito bom mesmo
e interessante
amei

Jeff disse...

Olá Ogair,

Você tem esta imagem do post em tamanho grande? Eu tinha esta imagem, mas acabei perdendo em um HD que queimou.

Qualquer coisa, meu e-mail é jeff@jeff.com.br

Obrigado,
Jefferson Pascon.

Antonio disse...

Parabéns!
Imagino não ter sido fácil obter todo esse conteúdo.
Ogair, você tem alguma informação sobre o ramo da família Pascon que se desenvolveu na região de Birigui SP?
Meu e-mail é aedpascon@terra.com.br.
A E Pascon

barbara pascon disse...

nossa, tipo segundo meu vo a eugenia tinhabem mais irmaos... tipo o mario zoraide joana osvaldo joao geraldo maria helena... sera que estamos falando da mesma linhagem???