domingo, 3 de janeiro de 2010

SAGA DA FAMILIA PENTIARO

FAMILIA PENTIARO - .  

ÍTALA MARIA SECONDA PENTIARO, minha Bisavó,  nasceu no ano de 1858, na cidade de Rovigo, em Vêneto Orientale, Itália. Viveu a infância em meio a turbulência do pós guerra italiano, que vinha buscando sua unificação desde o ano de 1815, pois a Itália era até então, apenas uma coleção de pequenos Estados, submetidos a potências estrangeiras. Na luta sobre a futura estrutura da Itália, a monarquia, na pessoa do rei do Piemonte-Sardenha, Vítor Emanuel II, apoiado pelos conservadores liberais, teve sucesso quando em 1859-1861 se formou a Nação-Estado, derrotando os partidários de esquerda, republicanos e democráticos, que militavam sob Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi. A desejada unificação da Itália se deu assim sob a Casa de Sabóia, com a anexação ao Reino de Sardenha, da Lombardia, do Vêneto, do Reino das Duas Sicílias, do Ducado de Módena e Reggio, do Grão-Ducado da Toscana, do Ducado de Parma e dos Estados Pontifícios. Mas, mesmo com a vitória, as guerrilhas e discordância continuaram por longos anos, fazendo com que o sofrido povo italiano buscasse melhores lugares para se morar.

Casou-se com o sr ANACLETO TURAZZI, meu bisavô,  no ano de 1880, e pelo que sabemos tiveram 03 filhos, os quais vieram para o Brasil ainda Jovens. São eles:

. Tersília PentiaroTurazzi (Rovigo – Itália - 1883) - veio p/o Brasil com 15 anos de idade.
. Artêmio Pentiaro Turazzi (Rovigo – Itália - 1885) - veio p/o Brasil com  13 anos de idade.
Rodolpho (Adolpho) Pentiaro Turazzi (Rovigo – Itália - 1887/1940) - veio p/o Brasil com 11 anos de idade.

Não se sabe o que ocorreu com a sra.  ÍTALA MARIA SECONDA PENTIARO,  para causar sua morte prematura (+- com 40 anos),  mas no ano de 1898, seu marido (viúvo), então com 43 anos de idade e seus filhos, vieram para o Brasil, pelo Vapor Minas aportando em Santos e se dirigindo para a cidade de Brodowiski-SP, região de Ribeirão Preto,  para trabalhar na fazenda do sr Antonio Rosa Sobrinho..

Os italianos nessa época passavam por momentos difíceis, pois a itália estava na luta sobre a sua futura estrutura. A monarquia, na pessoa do rei do Piemonte-Sardenha, Vítor Emanuel II, apoiado pelos conservadores liberais, teve sucesso quando em 1859-1861 se formou a Nação-Estado, derrotando os partidários de esquerda, republicanos e democráticos, que militavam sob Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi. A desejada unificação da Itália (até então a Itália era formada de pequenos Estados, dirigidos por nações Estrangeiras, França, Espanha, Inglaterra), se deu assim sob a Casa de Sabóia, com a anexação ao Reino de Sardenha, da Lombardia, do Vêneto, do Reino das Duas Sicílias, do Ducado de Módena e Reggio, do Grão-Ducado da Toscana, do Ducado de Parma e dos Estados Pontifícios. Mas, mesmo com a vitória, as guerrilhas e discordância continuaram por longos anos, fazendo com que o sofrido povo italiano buscasse melhores lugares para se morar.


Muitas familia decidiram sair da Itália e vir para o Brasil, pois após a Libertação Escravocata, o País estava necessitando urgentemente de trabalhadores com conhecimentos (agricultores, pedreiros, marceneiros, etc...) e o governo brasileiro, muita propaganda fez, inclusive dando as passagens gratuitamente aos imigrantes, além de serem beneficiados posteriormente com a compra de terras muito baratas.


Os navios saiam da Itália abarrotados de familias querendo um futuro promissor, mas não sabiam o destino que chegariam. Muitas familias foram separadas no Porto de embarque, já que o destino de cada navio era diferente: Uns desembarcariam em Santos (SP), outros em Paranaguá (PR), outros em Niteroi (RJ), Florianópolis (SC), Vitória (ES) e no Rio Grande do Sul, etc....

 
 Veja continuação nas Sagas das Famílias abaixo.

ver:  SAGA DA FAMILIA TORAZZI
        SAGA DA FAMILIA  CAMOLESE
        SAGA DA FAMILIA PERUZZO
        SAGA DA FAMILIA PASCON
        SAGA DA FAMILIA CARDUCCI

Um comentário:

Ogair disse...

Por Kleber Camolezi
ola amigo

achei muito interessante a historia da familia, pois sou um camolezi,e gostaria de saber mais dos meus antepassados.

Até a pouco tempo eu achava que era de descendencia portuguesa, porque minha bisavó era de portugal.

O que eu gostaria de saber é se a familia camolezi tem algum brasão?

por favor me informe por e-mail.

bom,os nomes que eu tenho são os seguintes

meu nome: kleber donisete camolezi, nascido em pitangueiras sp

nome de meu pai: Brasilino Donisete Camolezi, do estado do parana(nao sei a cidade)

nome de meu avô: Antonio Camolezi, nascido em Pitangueiras sp

Meus irmaos: Dener Camolezi, Daiane Camolezi e Cleiton Camolezi, todos de Pitangueiras sp

Por favor eu pesso que entre em contato pois estou muito interessado em saber do passado da familia
Obrigado e um abraço