domingo, 3 de janeiro de 2010

TORAZZI - Na Primeira Guerra Mundial

ENRICO Torazzi, nasceu em Ferrara em 7 de dezembro de 1897, filho de  Charles Torazzi. Estudou para ser um contador e se  graduou em 05 de agosto de 1915, e em em 21 de setembro do mesmo ano chegou à Escola Militar de Caserta,  para freqüentar o curso de cadetes, no Terceiro Regimento.

Depois de um treinamento duro, em 12 de março de 1917,  foi enviado como oficial estagiário  da 27 ª Brigada de Infantaria,  Regimento de Pavia Poggio Renatico. Publicação dedicada a cidade de Ferrara na Grande Guerra,  interposto pelo Centro de Documentação Histórica do Município de Ferrara e pelo Centro Cultural Pico Cavaleiros.

Posteriormente, em 26 de março foi transferidos para 261 ª Brigada de Infantaria Regimento de Elba, (estabelecido em fevereiro de 1917), Pavia di Udine em uma zona de guerra e para a 11 ª Companhia, Pelotão 4 em Ontagnano, sede do regimento. No dia 29 entra em serviço regular e escreve:
 
 "Que contraste entre meus soldados e eu! Eles foram na sua maioria para a guerra ... a guerra que eu vi essa foto. E eu deveria ensiná-los a fazer a guerra!"
 
Segue-se a educação dos soldados no intervalo das artilharias, em Gallarate, uma cidade de fogo na parte traseira do Friuli, até 29 de abril vamos encontrá-lo na linha de Aiba, uma cidade na margem direita do rio Isonzo, ao norte do Canal (agora em território esloveno) no agrupamento das forças conhecida como "zona de Gorizia", comandado pelo General Capello, onde as brigadas que estão se reunindo na frente da Áustria de assalto no Isonzo Médio. "É talvez a sua morte, aos vinte! .." são as breves palavras que testemunham o modo de Henrico Torazzi, na  vésperas da grande ofensiva italiana, que teve o nome de  "Décima Batalha do Isonzo,  e foi travada em 12 de maio de 1917. 
 
Henrico Torazzi, em seu diário,  relata a viagem até a passagem no Plava Isonzo, descrevendo a situação das tropas italianas por trás das linhas de frente de combate e  em aldeias e ruínas de Zagora e Zagomila. Em 22 de maio, ele escreve: "Eu vi na rua várias mulas  mortas e muitos cadáveres humanos, o horror da guerra! ..." Em 25 de Maio chegou reforços para as tropas da brigada Girgenti e tomaram parte no assalto de Monte Vodice, para consolidar as conquistas do dia mais cedo e é ferido.

Diz-nos tão animado: que momentos terríveis: "Talvez ontem foi o pior dia nesta guerra ...  disparei em alguns austríacos atrás de uma pedra, um deles tinha uma granada de mão e feri-me um pouco na  têmpora direita. Passando por uma passagem atrás de mim, em seguida, explodiu a bomba ............

Veja mais:
http://www.endasferrara.it/primopiano/gennaio06.shtml

Nenhum comentário: